O diário da Inês

sexta-feira, 8 de novembro de 2019

Pão com chouriço e queijo - Parece que ele também cozinha

Um dia em que ele resolveu fazer pizza, quando já estava a estender a massa apercebeu-se que a massa era bem mais do que a quantidade que pretendíamos para apenas uma pizza. Então eu sugeri que ele fizesse pães com chouriço com a massa de sobra. Se eu bem sugeri, ele melhor o fez pois ainda adicionou queijo, o que tornou o pão ainda mais guloso.
A massa foi feita com a ajuda da bimby que para coisas que precisem de ser amassadas é sem dúvida uma grande ajuda. 

Ingredientes:
  • 200 g de água
  • 400 g de farinha
  • 50 g de azeite
  • 1 colher de chá de sal
  • 5 g de fermento de padeiro seco
  • queijo ralado
  • chouriço às rodelas

Modo de preparação:
1. No copo da bimby coloque a água, o azeite, o sal e programe 1 min/37°C/vel 2.
2. Adicione a farinha, o fermento e amasse 2 min/vel espiga. Retire e deixe a massa levedar num local morno até dobrar de volume (nós colocámos no forno, na função levedar, durante cerca de 15 minutos).
3. Numa superfície polvilhada com farinha e com a ajuda de um rolo estenda a massa de modo a que fique fina, mas não em demasia.
4. Corte em rectângulos, no centro coloque o chouriço e o quejo ralado. Feche e faça uns 3 cortes na parte superior.
5. Leve ao forno, a 200°C, cerca de 30 minutos, ou até que veja que está cozinhado.

quarta-feira, 6 de novembro de 2019

Hotel Alif Campo Pequeno

De vez em quando vou um fim de semana até Lisboa e confesso que nos dias em que correm é difícil encontrar um sitio bom, para a minha definição de bom que inclui ter uma boa aparência, ser limpo e ter uma casa de banho privativa, sem ter que pagar couro e cabelo!
Desta última vez que fui até Lisboa foi o hotel Alif que preencheu os meus requisitos. Embora tenham ainda alguns quartos com aparência antiquada, nós ficámos na parte que já foi modernizada. O quarto não é muito grande, mas tem todas as condições necessárias a uma boa estadia e estava super limpo. São tão novos que o quarto ainda cheira a novo! Camas e almofadas confortáveis e ar condicionado para que possamos ter o quarto à temperatura desejada por nós.
Como só lá passei uma noite e nem foi muito tempo esqueci de fotografar as áreas comuns, mas os funcionários são simpáticos, sendo que ainda existe um que nos abriu a porta e chamou o elevador. Acredito que também carregue as malas a quem precise.
Pequeno-almoço também não tomámos, mas pelas fotos que vi pareceu-me ser bom e completo.

Morada: Avenida João XXI 80, Campo Pequeno, Areeiro, Lisboa





segunda-feira, 4 de novembro de 2019

Taxo

Estando pela zona do Cartaxo uma visita ao restaurante Taxo é algo que não se pode deixar passar. E não se deixem enganar por ser numa quinta e pelo seu luxuoso aspecto pois os preços são bastante em conta. Para que vejam, o que vos mostro abaixo custou 30€, algo que considerámos bastante acessível dado o tamanho e qualidade das doses. 
Está aberto todos os dias ao almoço e jantar e aconselho reserva, assim podem ir descansados que o vosso lugar está garantido. Se têm filhos, enquanto esperam pela refeição podem usufruir da bonita zona exterior que até baloiços tem.
Como eu estava curiosa por provar vários petiscos optámos por pedir 3 e depois dividir o prato principal. Foi uma escolha acertada e se no inicio ainda ficámos na dúvida se seria pouco, na verdade foi até muito! Os petiscos/entradas são servidos em óptimas doses e os croquetes são enormes! O pica-pau feito com carne tenra e com um tempero que temos mesmo que molhar o pão no molho. O choco frito saboroso, ao nível do comido nas melhores casas de Setúbal. Os croquetes além de enormes são muito bons, dos melhores que tenho comido.
Para prato principal, os abanicos, super tenros e bons, com um doce puré de maçã e uma redução de vinho que nos faz andar a raspar no prato.
Embora já estivéssemos mais que cheios, tivemos que provar duas sobremesas sobre as quais tinha lido bem. Eu as farófias, pois adoro farófias e ele o creme brulée por ser fã dessa sobremesa. Ambas as sobremesas superaram as expectativas e, mas uma vez, as doses eram brutais.
Atendimento simpático e rápido.

Morada: Quinta do Letrado, Sítio da Pata Choca, Cartaxo









Pão

Pica-pau

Choco frito à moda de Setúbal

Croquetes de vitela à antiga portuguesa

Abanicos de porco com puré de maçã

Creme brulée

Farófias








sexta-feira, 1 de novembro de 2019

Arroz de polvo

Adoro polvo, mas a verdade é que acabo sempre por comer em restaurantes ou em casa dos meus pais. Aqui em casa ainda só tinha feito uma vez, uma receita da bimby, que podem ver aqui
Mas depois de ter visto, no Instagram, como a Joana Roque cozinha o polvo resolvi que tinha que experimentar. Achei esta forma de cozinhar o polvo bem prática e depois decidi fazer um arroz de polvo, pois assim aproveitava tanto o polvo como a água que ele ganha ao cozer. 

Ingredientes:
  • 1 polvo (tinha 1 kg em congelado)
  • 1 cebola inteira
  • 1 cebola picada
  • 3 dentes de alho picados
  • 2 tomates maduros picados
  • 1 folha de louro
  • 1 raminho de salsa
  • azeite
  • arroz

Modo de preparação:
Num tacho coloque o polvo e uma cebola inteira e cozinhe em lume brando durante 40 minutos.
Num outro tacho coloque um fio de azeite, a cebola, alho e tomate picados. Junte o louro e cozinhe até a cebola estar translúcida. Junte a água que o polvo ganhou ao cozer, o polvo cortado em pedaços e metade da cebola que cozeu com o polvo, também cortada em pedaços. Junte o ramo de salsa e quando começar a ferver adicione o arroz. Se ver que é necessário vá adicionando um pouco de água a ferver até que o arroz esteja cozido.
Desligue o lume quando o arroz estiver cozido, mas tendo ainda um pouco de caldo. Comer de imediato!



quarta-feira, 30 de outubro de 2019

Quinta da Casa Grande Pinheiro

Este turismo rural fica na zona de Baião, relativamente perto do Porto, ou seja, bom para uma escapadinha de fim de semana. 
É um local simples, como disse a simpática dona, é a casa dela, por isso não esperem grandes luxos, mas sim uma estadia calma no meio do campo.
O quarto onde ficámos não era muito espaçoso mas deu espaço suficiente para o que se pretendia. Ficámos 3 dias e nunca vieram ao quarto, não sei se em estadias mais longas farão algum tipo de limpeza ou intervenção no quarto. 
A piscina, que não usamos no primeiro dia, pois o tempo estava muito incerto, tinham sido dias de chuva e frio, após uma limpeza ficou pronta para os banhos nos dias mais quentes que se seguiram. Embora o panorama antes da limpeza fosse um pouco assustador!
O pequeno-almoço é bom, composto por pão, croissant, queijo, fiambre, chourição, manteiga, doces caseiros, frutas e bolos (do tipo de pastelaria), quase sempre servidos quentes. Num dos dias havia uma saborosa bola de carnes, nos outros um pudim caseiro.
O espaço pode também ser alugado para festas como casamentos, baptizados, primeira comunhão. Bom para quem pretende um espaço bonito para fazer a festa, não tão bom para quem estiver hospedado na quinta nessa altura.
O preço da estadia é acessível quando comparado com outras quintas/turismos rurais do género. 

Morada: Calçada da Casa Grande nº 45, Santa Marinha do Zêzere















segunda-feira, 28 de outubro de 2019

Pensão Borges

Ir a Baião e não comer uma refeição na Pensão Borges é quase como ir a Roma e não ver o papa, apesar de que eu fui a Roma e não vi o papa! Mas, aqui neste caso não deixei fugir a oportunidade e tratei de fazer uma reserva para ir almoçar na Pensão Borges. Fiz a reserva para as 13h, num fim de semana, e foi-me dada a indicação de que após as 13h não aceitam reservas e que não me poderia atrasar pois a reserva seria perdida. Assim que cheguei percebi o porquê já que a fila para almoçar era longa. A verdade  é que têm duas salas enormes e o atendimento é rápido, sendo que a maioria das pessoas pede os pratos do dia que estão sempre a sair. 
Embora eu tenha visto a lista acabámos ambos por optar pelos pratos do dia, eu pela vitela e ele pelo anho. Confesso que não aprecio nem como anho, mas provei este e estava uma delicia, a carne saborosa e tão tenra que se desfazia. A vitela que eu pedi também estava saborosa mas se apreciam anho aconselho que peçam esse prato. Ambas as carnes vêm com batata assada e depois vêm servir à mesa um delicioso arroz de forno. Enchem bem o prato, mas como o arroz é delicioso ele acaba por ser comido até ao último grão.
Para sobremesa uma novidade, pelo menos para mim, o creme d'água queimado. E o que é isto, perguntam vocês? Nada mais, nada menos, que um leite creme, mas que em vez de ser feito com leite é feito com água. Ou seja, óptimo, sabor igual, mas apto para os intolerantes à lactose (no entanto confirmem na mesma se não leva nada de leite ou derivados). Segundo o que li, mas sem certezas, esta sobremesa foi inventada na Pensão Borges. Pedimos também uma maçã assada que estava muito boa.
O atendimento é simpático e rápido. 
Relativamente perto do restaurante há um parque de estacionamento coberto e gratuito. 

Morada: Rua de Camões, Campelo, Baião





Anho assado no forno

Vitela assada

Arroz de forno


Creme d'Água queimado

Maçã assada